Sunday, December 3, 2006

Travessuras da Menina Má


Travessuras da Menina Má, Mario Vargas Llosa, D. Quixote, 2006.


Que saudades de ler Vargas Llosa. Já lá vão uns anos desde que li, de enfiada, dois ou três livros dele. Continuo a gostar dos sul-americanos - gosto que me foi pegado pelo meu saudoso amigo Pedro Pedreira.Li as "Travessuras..." de seguida. Que travessuras, que menina, que maldades! Que grande livro! Esperem, no entanto, pelo fim...

1 comment:

JORGE said...

Li o livro Travessuras da menina má, o que mais me chamou a atenção foram as descrições tão finas e delicadas que faz Vargas Llosa de seus personagens cito aqui a que mais me chamou a atenção.
Na havia mudado muito naqueles quatro anos.Tinha o mesmo porte esbelto, bem formado com cintura estreita, pernas magrinhas bem torneadas e tornozelos finos e quebradiços de boneca. Parecia mais segura de si mesma e mais desembaraçada que antes,e balançava a cabeça no final de cada frase com uma displicência estudada. Tinha clareado um pouco o cabelo, agora mais comprido que em Paris e com umas ondas que eu não recordava; sua maquiagem era mais simples e natural que o estilo carregado de madame Arnoux.Estava com uma saia bastante curta, bem na moda, e com os joelhos à mostra e uma blusinha decotada que exibia seus belos ombros lisos e sedosos e destacava seu pescoço, gracioso pistilo rodeado por uma correntinha de prata com uma pedra preciosa, uma safira talvez, que com o movimento balançava travessa sobre a abertura onde assomavam seus seios empinadinhos.
Nossa essa descrição é sublime,mais na frente ele compara as orelhas da menina má como peças de arte minimalistas, aí pirei de vez sinceramente muito bomo livro